313297 9676

Noticia

F-Type R AWD – Jaguar de volta a realeza esportiva

 

A monarquia automobilística inglesa viveu tempos áureos na década de 1960. Salvo raras exceções, os súditos nada tinham a declarar contra o “Rei” E-Type, querido no mundo inteiro, até Enzo Ferrari sucumbiu aos encantos do esportivo desenhado por Malcolm Sayer ao dizer que ele era o carro mais bonito já produzido no planeta.

Mas isso mudou, os anos 1970 chegaram e trouxeram novidades estéticas e aerodinâmicas. A classe e elegância do estilo “charutinho” do E-Type perderam espaço para esportivos de desenhos ousados, com carrocerias musculosas, linhas quadradas e faróis escondidos na ponta do para-lamas que levantavam com uma partida na chave. Lamborghini Countach e De Tomaso Pantera viraram o símbolo desta tendência na Itália. Nos Estados Unidos , os Pontiac tomaram conta, enquanto na Grã-Bretanha, o Lotus Esprit conquistou a realeza.

Foi nessa época que a Jaguar perdeu espaço no mundo da velocidade. A agressividade do emblema felino amansou e ganhou status de veículos de alto luxo.

Finado em 1975, o E-Type só ganhou um sucessor em 2013. Nasceu o F-Type com missão de reconduzir a marca à realeza das fabricantes britânicas de corrida. É possível dizer que, hoje, a família real é protagonizada novamente pela Jaguar, na companhia de McLaren e Aston Martin.

O F-Type carrega a áurea de seu antecessor em sua carroceria de 4,47 metros. Capô longo e musculoso, banco situado quase sobre o eixo traseiro, grade em formato semi-oval, traseira com caimento semelhante ao de fastbacks e para-lamas traseiros com volume marcante em relação ao habitáculo transformam o superesportivo em uma releitura moderna do E-Type.

Na linha 2016, o Jaguar rendeu-se à estabilidade e segurança da tração integral, à precisão da direção elétrica e à sutileza dos discos de cerâmica 60% mais leves dos que os convencionais. Tornou-se um brinquedo mais maleável, mas não menos voraz. A versão R AWD lhe confere motor 5.0 V8 de 550 cv a 6.500 e torque máximo de extasiantes 69,3 kgf.m a 3.500 giros. Grudar no banco e sentir uma forte impulsão nas costas a cada acelerada brusca e escalonamento ligeiro é uma rotina extraordinária.

O gerenciamento primoroso da transmissão automática de oito velocidades permite com que o felino atinja até 300 km/h. Os 100 primeiros são realidade já aos 4,1 segundos a partir da inércia. Experimentar a liberdade que as aletas para acionamento manual do câmbio dá é viciante. Ainda mais por conta do ronco do propulsor Supercharged emanado pelo escapamento de quatro pontas.

Mas nem só de agressividade vive a fera. O requinte e a primazia na concepção de interiores famigerada da Jaguar Land Rover também impera no F-Type.  O console tem material com textura de fibra de carbono e quase todo o restante do habitáculo está revestido em couro com costuras na cor branca.

O que contribui para a ótima experiência a bordo do F-Type é o sistema de som da britânica Meridian. Há 12 alto-falantes que distribuem 770 Watts de potência. É possível ter um ajuste de cinema por meio do sistema surround Dolby Digital.

 

 

 

 

Em quesito preço, o novo F-Type tem as versões:

F-Type Coupé (3.0 V6 340 cavalos) – R$ 427.000
F-Type S Coupé (3.0 V6 380 cv) – R$ 498.400
F-Type S Conversível (3.0 V6 380 cv) – R$ 509.000
F-Type R Coupé (5.0 V8 550 cv AWD) – R$ 687.700