313297 9676

Serviços

Diagnóstico de Central Eletrônica

O diagnóstico de central eletrônica e a manutenção dos diversos componentes de um carro são serviços oferecidos pelo centro automotivo da GPR Motors, onde profissionais capacitados poderão revisar o carro por completo. Porém, por questão de segurança, é recomendado que todo condutor saiba um pouco sobre o funcionamento do seu veículo. Assim, ele poderá identificar mais facilmente eventuais problemas para reportar à assistência. Um dos sistemas mais complexos e importantes de um veículo é a central eletrônica, que só deve ser manuseada por mecânicos especializados.

Conheça melhor o sistema eletrônico do seu carro e faça um Diagnóstico de Central Eletrônica.

Os veículos produzidos mais recentemente contam com um sistema eletrônico desenvolvido para alimentar a câmara de combustão, bem como para realizar o gerenciamento eletrônico do motor. Sua utilização tem uma série de benefícios, a principal delas sendo uma menor emissão de gases poluentes na atmosfera. Isso ocorre porque os sensores distribuídos em partes estratégicas do carro repassam, em fração de segundo, informações precisas sobre a quantidade de combustível que necessita ser injetada no motor. A chamada injeção eletrônica garante que o motor trabalhe com o melhor desempenho, já que aproxima a combinação de combustível e ar da proporção ideal para a queima, referida na mecânica como mistura estequiométrica. Esse procedimento de análise do comportamento do automóvel é conduzido várias vezes por minuto, baseado na movimentação do virabrequim, eixo de manivelas que transforma a energia da combustão, calorífica, em energia mecânica.

O próximo passo é conhecer as partes envolvidas no sistema eletrônico. A mais importante delas é a central, responsável por gravar os dados do carro e o registro de seus parâmetros de fabricação. É ela que efetua os cálculos de gerenciamento da alimentação e ignição do motor. Os outros itens referentes a essa seção dividem-se entre sensores e atuadores.

  • Sensor de posição da borboleta de aceleração: identifica a potência que o motorista está exigindo motor;
  • Sensor de temperatura do líquido de arrefecimento: informa à central sobre a temperatura do líquido de arrefecimento e, consequentemente, do motor;
  • Sensor temperatura do ar: ajuda a determinar quanto combustível é necessário para uma combustão completa;
  • Sensor de pressão do coletor: informa a diferença da pressão dentro do coletor de admissão;
  • Sensor de rotação: permite que a central sincronize injeção e ignição;
  • Sensor detonação: aumenta a vida do motor porque avisa a central sobre eventuais batidas de pino no motor;
  • Sensor de Oxigênio: avalia os gases que saem do motor;
  • Sensor de velocidade: determina várias ações da central.

Aos atuadores, cabe controlar as reações do motor a partir do recebimento de sinais elétricos da central. Em geral, a manutenção da central elétrica é feita quando se nota mal funcionamento em algum desses setores do carro.